Incidente foi captado em vídeo. O homem era um terapeuta que estava a tentar ajudar um paciente com autismo

A polícia norte-americana disparou esta segunda-feira contra um cidadão negro não armado que estava deitado no chão e com as mãos no ar. Charles Kinsey é um terapeuta que estava a tentar acalmar um paciente com autismo que fugiu do centro de tratamento quando foi abordado pela polícia.

No vídeo, publicado esta quarta-feira, vê-se Charles a tentar esclarecer toda a situação com a polícia e a obedecer às ordens dos agentes, que acham que os dois estão armados e se posicionam a uma distância segura, com armas semiautomáticas apontadas aos dois suspeitos.

A polícia de Miami tinha sido chamada ao parque porque tinha sido reportado que lá estava um homem armado a tentar cometer suicídio. Charles Kinsey tentou explicar que o homem em questão era o seu paciente, Rinaldo, e que ele não tinha uma arma, mas sim um camião de brinquedo.

Enquanto falava com a polícia, Charles tentava também acalmar o paciente, que parecia agitado com toda a confusão. Charles disse às autoridades que não havia necessidade de usarem armas de fogo porque ninguém estava armado e que Rinaldo sofria de autismo e por isso não obedecia às ordens dos agentes.

“Estava mais preocupado com ele [o paciente] do que comigo porque achei que enquanto tivesse as mãos no ar não iriam disparar contra mim”, contou Charles ao canal WSVN. Charlie foi atingido na perna.

Mais tarde, na cama do hospital, Charles Kinsey conta que o momento em que foi atingido foi surreal e surpreendente. “Eu pensei que era uma picada de mosquito, e quando ele me atingiu eu tinha as mãos no ar e eu pensei: acabei de levar um tiro!”

O terapeuta perguntou ao polícia logo depois porque ele tinha disparado e a resposta foi quase tão inesperada: “Não sei”.

Segundo o canal WLPG, o agente que disparou contra Charles foi suspenso enquanto o caso é investigado.

Fonte: dn.pt


Já conheces o Instagram do OH Diabo? Segue-nos em
http://www.instagram.com/ohdiabo